Risco de linfoma em pacientes com artrite expostos a agentes anti-TNF (biológicos) não é maior que em outros artríticos.

O PROBLEMA

Pacientes com artrite reumatoide apresentam maior risco de linfoma na evolução a longo prazo que pessoas normais, embora isto seja uma ocorrência rara. Uma vez que medicamentos biológicos anti-TNF alteram o sistema imunológico, permitindo uma modulação para o bem, há preocupação que possam exacerbar o risco de linfomas.

Por outro lado, o risco de linfomas poderia estar diminuido usando tais medicamentos, já que diminuem a inflamação sistêmica da artrite.

A PESQUISA

Pesquisadores de Manchester no Reino Unido compararam 11.391 pacientes com artrite reumatoide tratados com agente biológico anti-TNF contra 3.367 pacientes tratados com medicação tradicional. Os resultados mostraram 84 linfomas diagnosticados no grupo que recebeu agentes biológicos anti-TNF, contra 30 linfomas no grupo que recebeu remédios tradicionais. Após vários ajustes estatísticos e para características das duas subpopulações, viu-se claramente que o risco de linfomas foi o mesmo nos dois grupos (0,74% x 0,89% respectivamente no grupo tratado com anti-TNF versus no grupo tratado de forma convencional, apenas para ficarmos nos porcentuais).

 

CONCLUSÕES

Após seguimento a médio prazo vê-se que não há risco aumentado de linfomas na população de pessoas com artrite reumatoide que recebe medicamentos anti-TNF (etanercepte, adalimumabe, etc.), em relação a pacientes que recebem tratamento tradicional (metotrexate, cloroquina, leflunomida, etc). Também não houve maior risco conforme o tipo de medicação biológica anti-TNF.

Uma boa e tranquilizadora notícia para quem se encontra em uso de agentes biológicos anti-TNF e com sua artrite bem controlada. Outras séries de casos já publicadas também apontam para as mesmas favoráveis conclusões.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: